Livros de março e abril, em vídeo

Aproveitei esse fim de semana super caseiro e fiz um vídeo pra reunir os livros que comprei em março e abril.

Espero que vocês gostem!

Se quiserem saber mais de qualquer livro, escrevam aí =)

Ah, o site da Revista do Curso de Russo da USP você pode baixar aqui (basta clicar em edições, tá?).

Beijo grande e bom restinho de fim de semana!

Anúncios

Little Drops of Friday

Não, eu não morri.

Bem, na verdade, quase.

Na verdade, não. Peguei uma gripe maligna que me fez faltar no trabalho, nas aulas de russo e na vida, de forma geral. O que incluir o blog, infelizmente.

Mas hoje, já um pouco mais recuperada, quero aproveitar pra celebrar a sexta-feira com um little drops especial VÍDEOS.

Dessa seleção, excluí book trailers. Minha vontade é mostrar alguns videos com curiosidades sobre livros, animações e pequenos momentos de poesia em formato .mov (e demais formatos, óbvio).

Começando a seleção, não poderia faltar o já manjado, já amado e já premiado (foi Oscar esse ano de melhor curta de animação): The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore

Fofura sim ou com certeza?

Prosseguindo no clima “abrace seu livro agora”, amo esse vídeo do diretor Spike Jonze (que também dirigiu o mais amado de todos Onde Vivem os Monstros). O vídeo foi inspirado na famosa livraria francesa Shakespeare & CO e trabalha lindamente com as capas e a vida misteriosa dos livros depois que a livraria se fecha. E fala de amor owwwwn! Não consegui achar o arquivo no youtube ou vimeo. Mas veja-o por aqui. Vale a pena!

The joy of books é um stopmotion fofinho, com livros bailando pra lá e pra cá. Ainda essa atmosfera de: enquanto você dorme, o que os seus livros estão fazendo??

This is where I live é o mais antigo dentre esses vídeos já citados. Nele, vocês verão que os títulos e as capas dos livros são bem mostradas, de propósito! O vídeo é institucional e comemora os 25 anos da editora americana 4Th Estate Publishers. Diz se você não queria uma cidade assim!

E, quem nunca sonhou em fazer um dominó com os livros da estante? Bem… só de pensar, tenho preguiça da arrumação que viria a seguir, confesso. Ainda bem que fizeram isso em vídeo o mostraram pra gente!

Pra fechar, um videozinho um tico mais técnico, mas BEM interessante (e em inglês) sobre como se faziam livros antes dos computadores. Juro que fiquei com dó do preparador de originais do passado.

Pesado esse serviço!

Espero que vocês tenham curtido! E podem dar sugestões do que seria bacana ver no little drops!

Ah, antes do adeus, um trecho de um book trailer, que é uma bronca em mim mesma: acabe já com a procrastinação, minha filha! Principalmente quando o assunto é nosso amado Da Editora!

Nada de procrastinar as leituras, hein!?

E bom fim de semana =)

Resenha de Linguagem de sinais, de Luiz Schwarcz + algumas coisinhas

Como prometido (e com um pequeno atraso), quero dividir com vocês as minhas impressões sobre três dos livros que li ano passado. São eles: Criança 44, de Tom Rob Smith, Indícios flutuantes, de Marina Tsvetáieva e Linguagem de sinais, de Luiz Schwarcz — que é por onde começo.

Linguagem de sinais era para ser um romance que, por força da vida (e dos outros editores da Companhia das Letras), foi se picotando em pequenos fragmentos, transformando-se num livro de contos (11 contos, na verdade) que orbitam  em volta de temas em comum.

Na época que comprei o livro (no lançamento), eu estava meio viciada no Luiz Schwarcz. Como leitora, sou fã de muitos escritores. Como editora assistente, sou fã de muitos editores. Seus trabalhos me interessam, suas histórias, enfim… a trajetória pela profissão que amo. Eu estava lendo muita coisa sobre o Schwarcz e a Companhia quando comprei esse livro. Queria ver como anos de edição de textos poderiam se refletir na escrita. Não me decepcionei!

Lajos, o personagem central no primeiro conto (que, de uma forma ou de outra, nos acompanha por quase todo livro), descreve uma viagem de avião para Portugal. O que seria um voo normal torna-se um passeio pela vida de Lajos quando um senhor com Alzheimer impede que o voo decole. Na interrupção causada pela confusão que se instaura no avião graças a esse senhor, Lajos vai nos contanto sobre sua infância, seu casamento fracassado, sua ex-mulher, Antônia.

Antônia também é ponto fundamental na interessante arquitetura de Linguagem de sinais. Ela, nos conta Lajos, trabalhava com deficientes auditivos e era fascinada por Beethoven e Goya, bem como pela linguagem de LIBRAS, que logo reconhecemos no título do livro.

As reflexões de Lajos encontram em Antônia um enigma: ele mesmo não entende porque casou-se com ela, ou mesmo como pode estar tanto tempo nesse relacionamento. E, partindo da sua infeliz vida conjugal, ele revê suas outras relações afetuosas, principalmente como elas existiam no passado. As coisas que aconteceram e que não podem ser revividas ou mudadas ecoam o tempo todo na escrita de Schwarcz, permeando com ternura (e esse foi o sentimento que mais senti em cada conto) o pequeno livro.

Destoa muito dessa construção, o conto “O síndico”. Nele, duas garotas que dividem um apartamento sentem-se seguidas pelo síndico do condomínio. Não entendi exatamente o que esse conto faz dentro de Linguagem de sinais. Talvez valha ler novamente, daqui um tempo, e tentar apreender… mas, já digo, foi o conto que não gostei.

A surdez, o judaísmo e as relações familiares são temas centrais que, graças ao engenho do autor, ligam os pontos de cada conto. Dessa forma, é impossível ler uma história só. As narrativas se conectam de forma sutil. A escrita e Schwarcz é leve, bem fluida e, em certos momentos, atinge um tom poético encantador. Há passagens que realmente me fizeram refletir como seria o romance que fora abandonado pelo autor. Bem, não sei se um dia saberemos. Mas o que posso afirmar é a recomendação que já havia feito no vídeo a respeito do livro. A leitura é rápida, os contos são breves. A intimidade que alcançamos com os personagens é quase imediata. A linguagem de sinais, imediatamente ligada à surdez, recebe, então outra conotação. Paramos para pensar nos sinais que recebemos durante a vida, como nos comunicamos além das palavras…

Recomendo MESMO.

 

Detalhes

Linguagem de sinais, de Luiz Schwarcz.

Companhia das Letras, 2010.

103 páginas.

Preço sugerido: R$33,00

 

 

Outras coisinhas

Recebi logo cedo, por minha amiga Josi, esse vídeo FOFO, em stop motion, Já viram?

Fofura, né?

 

 

E também, recebi pelo facebook, a lista dos prováveis lançamentos de 2012 das principais editoras. A gente sabe que muito se promete, mas nem tudo se consegue cumprir quanto a prazos na área editorial. Há um monte de fatores que podem prejudicar um andamento… mas se tudo sair como esperado, os lançamentos de 2012 estão aqui, no Casmurros. (Obrigada pela dica, Katrina!).

 

É isso, gente. Ainda essa semana, as outras 2 resenhas!